Visões Mensais Dezembro de 2012, Dana Mrkich

Visões Mensais: O Nosso Ponto de Viragem

 

Mensagem de Dana Mrkich, 11 de dezembro de 2012
Têm-se dito muitas coisas sobre o dia 21 de dezembro de 2012. Para muitos de nós, ofereceu um raio de esperança, um ponto de foco, uma data tangível cuja mensagem se alinhava com a mensagem interior que senti e segui durante a maior parte da minha vida: Estamos cá por um propósito. Estamos cá para despertar. Para nos lembrarmos de quem somos de verdade. Para cocriarmos um mundo novo, baseado em estados superiores de consciência, sensibilização, verdade, amor e unidade.
Para os que também sentiram uma mensagem como esta a irradiar de dentro, não precisávamos de uma data para nos dizer que estamos aqui para participar num grandiosa mudança para a Humanidade. Nem esta mudança vai acontecer como um evento singular num dia singular. No entanto, apesar disso esta data é importante, para além de ter a energia sagrada do término de um enorme ciclo e de anunciar o começo do nosso novo ciclo. Ao mesmo tempo que esta data criou muitas expetativas, isso foi feito assim não para desencadear um desapontamento generalizado quando acordarmos a 22, 23 e 24 de dezembro e daí por diante e, aparentemente, nada tiver acontecido. Nem nunca pretendeu invocar medo desnecessário. Esta data serviu como um lembrete da razão pela qual estamos aqui, caso nos esquecêssemos. Serviu como um chamado para despertar e um despertador, no caso de pensarmos que tínhamos todo o tempo do mundo para fazer o que viemos aqui fazer. Serviu como uma confirmação informando-nos: Não estão sozinhos com as coisas que conhecem e sentem profundamente. Também houve outros muito antes de vós que sabiam que estes tempos viriam, e há outros mesmo ao vosso lado e no lado oposto do mundo e noutras dimensões em forma de espírito e de família estelar que sabem que estamos nestes tempos agora, tal como vós sabeis.
Para muitos de nós, o mundo que existia à nossa volta não combinava com o mundo que imaginámos no nosso coração. Não combinava com o mundo que conhecemos com cada célula do nosso ser que estamos aqui para criar juntos. 2012 pairava no futuro como uma encruzilhada, uma oportunidade de um ponto de viragem para a nossa família humana. Parecia que este ponto de viragem representava uma escolha e um prazo que tínhamos que escolher: Iríamos continuar o caminho em que tínhamos estado com as nossas formas insustentáveis e bater numa parede de tijolos, em queda livre para a autodestruição, ou iríamos usar esta oportunidade para dar um salto quântico para novas maneiras de viver e de ser, não apenas despertando mas incorporando coletivamente o nosso despertar, conduzindo à transformação em cada aspeto da sociedade?
Em relação à Terra, nunca houve quaisquer dúvidas sobre qual a direção que esta estava a escolher. Ela guardou uma determinada data num certo lugar no espaço, assinalando a sua mudança para uma energia de frequência superior. Durante esta mudança, ela foi inundada com onda após onda desta nova energia, afetando tudo nela. A questão principal era: quantas pessoas através do ponto de viragem estão a rolar com estas ondas, a despertar, conscientes, recetivas e ativas para as suas melhores capacidades e quantas estão a resistir a estas ondas, segurando-se na velha margem pela querida vida?
Estão a ver, a Mudança da Terra está num ponto de viragem, não há dúvida. Se estiver agora na Terra está a bordo, quer estejam a rolar com ela, em resistência ou algures num lugar intermédio. Quão fácil é para ela fazer a viragem, e quão gentil é o passeio para a maioria de nós, depende de quantas pessoas estão a fazer a viragem com ela, em vez de contra ela, por falta de uma palavra melhor. É como estar numa enorme motocicleta gigante, com o piloto a gritar “Quando me inclino, inclina-te comigo ou cairemos!!”  Dito isso, a resistência de alguém é muitas vezes o desencadear para a o despertar de muitos, portanto todos têm o seu propósito nesta viagem. Observem as coisas que estão a desenrolar-se neste momento nos vossos noticiários diários e questões atuais. Para cada ação “errada” existe neste momento uma onda de pessoa a despertar, a acelerar e a gritar ei, o que se passa aqui? Todos estamos a desempenhar a nossa parte do puzzle de forma perfeita.
Agora, sejamos honestos. Talvez nós (eu, em definitivo!) tivéssemos algumas enormes expetativas idealistas enormes acerca de como as pessoas se “inclinariam” por esta altura e quanto a sociedade podia ter mudado realmente até agora. MAS a boa notícia é, à medida que olhamos à volta, mais milhões estão a inclinar-se do que até há um ano atrás e MUITOS estão a mudar muito rapidamente. O suficiente para eu dizer, não vamos cair. Vamos conseguir fazer esta curva!
A prova disto em estado presente apesar de escassa, da mesma maneira que não podem estar realmente certos sobre o que jaz para além da curva na estrada enquanto estão ainda a virar a roda. No entanto, por estarmos agora tão perto, as provas começam a aparecer por todos os lados. Ao conduzir, cheiram e ouvem sempre o que está à adiante antes de o poderem ver. Da mesma maneira, todos podemos sentir a mudança que está a chegar, podemos ouvir os sons e estamos já a ver bolsas dela. As velhas formas estão a cair de modo muito rápido, e o novo está a acelerar como uma onda imparável, alcançando cada abertura do nosso corpo, mente, coração e alma, cada abertura da nossa casa, família, comunidade, país e mundo. Isto não significa que vamos acordar um dia e ei, pronto, estamos num mundo novo que é completamente perfeito!
Chegar a 21 de dezembro de 2012, e ir para lá dessa data, é como sair numa nova autoestrada emergindo de uma longa série de voltas, curvas e trajetos ansiosos através de florestas escuras. É a coisa mais próxima que temos de uma cerimónia de graduação informando-nos: conseguiram, fizeram-no, agora comecem a trabalhar e a construir um mundo novo que seja um verdadeiro reflexo da base sólida e vigorosa de amor e unidade de que todos somos uma parte.
Certo, muitos de nós quisemos fazer isto, ou temos estado a realizá-lo, durante muito tempo. O que vai ser tão diferente agora? No ciclo antigo, aqueles que têm estado conscientes e despertos sentiram sempre como se estivessem a nadar contra a maré, indo contra o que é considerado “normal”, sentindo-se com frequência invisíveis e isolados, sentindo-se como estrangeiros numa terra estranha. Os vossos pensamentos, crenças e ideias foram normalmente ignoradas, desencorajadas ou ridicularizadas. No novo ciclo, a maré virou. A corrente levar-nos-á para a frente, cada vez mais depressa a cada momento. Viver a vida de forma consciente com respeito pelas vidas e pela Terra ao nosso redor será o preceito normal em vez dos sonhos ilusórios. As vossas ideias serão cada vez mais apoiadas, celebradas e incentivadas, ao contrário de serem silenciados e criticados. Àqueles que escolherem continuar nas velhas formas será pedido muito, muito rapidamente que saiam dos seus cargos, visto que o velho não será mais aceite, ou necessário, pelas massas crescentes que escolhem agora uma experiência diferente.
Enquanto assisem à ocorrência de toda a resistência, lembrem-se de que a luz intensifica. Transformações enormes exigem revelações enormes e enormes limpezas que resultam com frequência em passagens desafiadoras, chocantes e difíceis como parte da jornada em direção à verdade, harmonia e equilíbrio superiores. Estas passagens ao mesmo tempo que intensas serão mais curtas e fáceis e os seus propósitos tornar-se-ão rapidamente claros com os resultados que estejam em alinhamento com as novas energias.
Agora, temos que lembrar que estamos a falar de um ciclo que tem a duração de 26,000 e, assim, não é uma paragem abrupta de um sentido único, começar o novo caminho a partir de um clique de um botão. O cenário não vai mudar imediatamente em cada único conjunto de cada único estágio do nosso grande jogo humano – mas será cada vez mais evidente na proporção direta em que o velho cenário se desloca para fora e o novo se desloca para dentro. Já vimos isto este ano, mas as mudanças são ainda demasiado subtis para muitos que desejam sinais mais diretos e mais evidentes de mudança. Todos os dias cada vez mais estarão lá os sinais evidentes para todos os que abrirem os olhos para os ver. Finalmente, claro, as mudanças serão tão tangíveis que serão visíveis para todos, de olhos abertos ou não, mas por essa altura os “olhos abertos” serão uma experiência muito mais comum do que é neste momento.
Embora tudo isto seja um processo, é importante ter uma data de transição oficial, uma espécie de marco do A.D e D.D (Antes do Grande Despertar e Depois do Grande Despertar). A um nível físico, tangível e coletivo, este marcador está a ser criado por um número sem precedentes de pessoas a reunirem-se durante os dias 20 a 23 de dezembro para rezar, celebrar, cantar, entoar cânticos, festejar, criar intenções para o futuro, estabelecer compromissos para a ação consciente, abrirem-se para níveis superiores de sensibilização e de consciência. Ainda que esta data não tivesse energia especial, agora certamente que tem, com milhões unidos numa nova visão para o nosso mundo. Agora sabemos o suficiente sobre como os nossos pensamentos e energia criam a nossa realidade e, assim, a onda que irá ser enviada para o nosso futuro por tantos membros da humanidade terá um efeito imediato na linha do tempo que está a criar esse futuro.
Portanto, isto leva-nos à questão, à parte dos nossos esforços coletivos, iremos sentir ou ver algo “único numa vida” seja a 21 de dezembro ou nos dias seguintes? Os anciãos e sacerdotes Maias que tivemos a oportunidade de conhecer durante as nossas viagens ao longo dos anos todos partilharam uma mensagem parecida sobre estes tempos. Assim, para não as citar incorretamente, irei reter os pontos principais do que eles partilharam connosco brevemente (originalmente falado em espanhol, traduzido para inglês): “Não é o fim do mundo, é o fim de um ciclo.” “Não sabemos o que irá acontecer nesse dia.” “Este tempo trará mudanças positivas para a Humanidade, mais equilíbrio e mais consciência para o mundo.” “Se tivermos três dias de escuridão não se assustem, o sol voltará.”
O ciclo do calendário Maia não começa e termina com datas tiradas do ar. Esta corresponde à precessão dos equinócios que levam 26,000 anos, e ao alinhamento específico que este Solstício Solar em particular terá em relação com o Centro Galáctico e o Equador Galáctico. A visão que tenho é a da carta da Roda da Fortuna no Baralho de Tarot, com a Terra a girar num círculo que leva 26,000 anos, aproximando-se devagar do centro inferior, cruzando agora o limiar equatorial para se deslocar para cima em direção ao pico. À medida que passamos através deste período de alinhamento (e temos vindo já a sentir os efeitos energéticos nos anos e meses que o precederam), a minha sugestão seria dar tempo durante estes dias para receber a energia que está a chegar de forma consciente para que quaisquer visões e ideias que queiram despertar em vós o possam fazer. Tenham à mão o vosso diário ou portátil para poderem anotar as coisas porque, tal como um sonho, quando o momento tiver passado pode ser difícil recuar na memória da mesma maneira.
Isto também ajudará a aterrar, ancorar e incorporar a energia. Andar a balançar num estado de felicidade é tudo de bom mas, quando acordarmos depois dos feriados e estivermos a enfrentar 2013, iremos ter trabalho para fazer. Nas últimas Visões Mensais falámos muito sobre o processo de “descensão” – de incorporar a energia de frequência superior que está a fluir sobre nós. Queremos encontrar uma maneira de ancorar e incorporar a energia que está a chegar, não somente nas datas mencionadas, mas em todos os próximos dias para podermos fazermos alguma coisa com ela, e usá-la de uma forma prática para facilitar a mudança e as novas iniciativas pioneiras.
Desta vez o “nosso trabalho” não terá tanto a ver com o trabalho interior, para os que têm estado solidamente concentrados nele. Terá a ver com incorporar, viver, ser e criar na forma física o que sabemos que é verdadeiro a um nível superior. Também estaremos lá para apoiar os recentemente despertados e que solicitam apoio para o seu trabalho interior. As energias de 20 a 23 de dezembro serão, provavelmente, carregadas com mensagens – ouvidas e sentidas mais facilmente por vós agora e principalmente nestes dias – por isso, apareçam, estejam abertos, prestem atenção, recebam todas as coisas boas que há para receber, e tomem notas!
Finalmente, estamos livres das profecias. Estamos a deixar para trás o nosso ciclo cármico e a entrar no nosso ciclo cocriador consciente e isso é tão libertador e poderoso. Requer também um maior nível de responsabilidade, autenticidade e integridade. É como sairmos da adolescência para a idade adulta.
A energia em si mesma é potencial divino, o que escolhermos fazer com ela é connosco. É por isso que muitos videntes viram 2013 e mais além como um capítulo em branco. Vós segurais a caneta para a vossa página no nosso novo capítulo. O que vão escrever?
“A maioria de nós leu todos os livros, fez todos os seminários, curou, libertou, limpou e purificou. Fizemos o que foi necessário fazer para alcançarmos estados de consciência mais elevados, pensando que isto nos proporcionaria a realização que procurávamos. Em vez disso, encontramo-nos mais conscientes no entanto sentimos que alguma coisa está a faltar. Agora é hora de descermos para os nossos corpos, levar connosco a nossa sabedoria arduamente conquistada e usá-la para dar significado, poder e propósito a cada aspeto da nossa vida diária. Estamos a ser chamados para um novo tipo de iluminação, que leva tudo o que descobrimos nas nossas jornadas interiores para o mundo exterior. É hora de sairmos das nossas cavernas e assumirmos seja qual for a iluminação que tenhamos para o mundo real, corporações, governos, política, escola, média, sistemas de saúde e sociais. Temos esperado pela mudança do mundo, entretanto o mundo está à espera que ajamos.” – Dana “Um Novo Capítulo”
Vejo-vos no outro lado!
Dana
© Dana Mrkich 2010. É concedida permissão para partilhar este artigo livremente na condição de que o autor seja creditado, e o URL www.danamrkick.com incluído. Siga Dana no Facebook: www.facebook.com/danamrkichnews
Tradução: Ana Belo – anatbelo@hotmail.com

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »
    on line: 528