Natal – uma Estação Espiritual

Natal – uma Estação Espiritual

As datas de celebrações espirituais são momentos em que poderosas energias chegam a Terra e em cada pessoa que se coloca em atitude de receptividade , são momentos que podem ser aproveitados por cada trabalhador da Luz para seu fortalecimento espiritual . São as Estações Espirituais que trazem em si todos os atributos vinculados à Festa. O Natal é uma Estação Espiritual  que comunica e transmite o nascimento de Jesus Cristo . O Natal é  também uma época abençoada, em que um grande fluxo de energias elevadas do reino angélico são vertidas sobre toda a humanidade.

O objetivo desta página é aproximá-lo do significado espiritual do Natal para que possa, sozinho ou em grupo , realizar um bom momento de meditação para recepção dessas energias de Grande Luz. As leituras e meditações no final desta página poderão ajudá-lo a manter uma frequência de acesso a esta Estação Espiritual.

 

 

Nascimento de Jesus no Novo Testamento

Em Lucas

8 ¶ Ora, havia naquela mesma comarca pastores que estavam no campo, e guardavam, durante as vigílias da noite, o seu rebanho. 9 E eis que o anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de resplendor, e tiveram grande temor. 10 E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo: 11 Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor. 12 E isto vos será por sinal: Achareis o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura. 13 E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus, e dizendo: 14 Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens. 15 E aconteceu que, ausentando-se deles os anjos para o céu, disseram os pastores uns aos outros: Vamos, pois, até Belém, e vejamos isso que aconteceu, e que o Senhor nos fez saber. 16 E foram apressadamente, e acharam Maria, e José, e o menino deitado na manjedoura. 17 E, vendo-o, divulgaram a palavra que acerca do menino lhes fora dita; 18 E todos os que a ouviram se maravilharam do que os pastores lhes diziam. 19 Mas Maria guardava todas estas coisas, conferindo-as em seu coração. 20 E voltaram os pastores, glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham ouvido e visto, como lhes havia sido dito.

Em Mateus

1 ¶ E, tendo nascido Jesus em Belém de Judéia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do oriente a Jerusalém, 2 Dizendo: Onde está aquele que é nascido rei dos judeus? porque vimos a sua estrela no oriente, e viemos a adorá-lo. 3 E o rei Herodes, ouvindo isto, perturbou-se, e toda Jerusalém com ele. 4 E, congregados todos os príncipes dos sacerdotes, e os escribas do povo, perguntou-lhes onde havia de nascer o Cristo. 5 E eles lhe disseram: Em Belém de Judéia; porque assim está escrito pelo profeta: 6 E tu, Belém, terra de Judá, De modo nenhum és a menor entre as capitais de Judá; Porque de ti sairá o Guia Que há de apascentar o meu povo de Israel. 7 Então Herodes, chamando secretamente os magos, inquiriu exatamente deles acerca do tempo em que a estrela lhes aparecera. 8 E, enviando-os a Belém, disse: Ide, e perguntai diligentemente pelo menino e, quando o achardes, participai-mo, para que também eu vá e o adore. 9 ¶ E, tendo eles ouvido o rei, partiram; e eis que a estrela, que tinham visto no oriente, ia adiante deles, até que, chegando, se deteve sobre o lugar onde estava o menino. 10 E, vendo eles a estrela, regozijaram-se muito com grande alegria. 11 E, entrando na casa, acharam o menino com Maria sua mãe e, prostrando-se, o adoraram; e abrindo os seus tesouros, ofertaram-lhe dádivas: ouro, incenso e mirra.

As festas cristãs e espirituais, universais ocorrem em todos os tempos da evolução da Terra e da Humanidade, porque expressam um reino para além do plano da Natureza. Os impulsos da religiosidade, dos caminhos espirituais que ultrapassam todas as religiões, também estão presentes na Natureza. O espiritual é celebrado, não o especificamente religioso. As celebrações cósmicas e espirituais e as terrenas e da natureza fazem parte da história da evolução da humanidade. (1)

A Festa do Natal no hemisfério Sul acontece sempre nos primeiros dias do verão , quando o ser humano recebe a luz que está fluindo para si a partir do cosmos. O mundo espiritual divino revela-se. A luz é a sabedoria espiritual. O intelecto fica mais lento e a alma se abre para a luz e o calor. O verão é Yang: o princípio ativo, diurno, luminoso, quente, masculino, o movimento.

No Hemisfério Norte a celebração do Natal acontece no inverno , onde se deve buscar o estudo e a meditação, caminhos do fortalecimento interior e como contraponto os encontros com o outro, as relações sociais mais profundas. O inverno é Yin: o princípio passivo, noturno, escuro, frio, feminino , o repouso.

 

OS SÍMBOLOS DO NATAL

As Luzes

Como para expressar visivelmente o significado da “iluminação” obtida pelo nascimento de Jesus Cristo, há muito tempo se introduziu o hábito de acender fogos durante a noite de Natal, substituindo tradições pré-cristãs. A iluminação extraordinária dos lugares públicos durante o tempo de Natal se inspirou nesses usos.

A Árvore De Natal

Desde o século XVI, nos países nórdicos, começa o hábito de reunir-se em torno de uma árvore , símbolo da graça alcançada pela Encarnação e pela morte na árvore da cruz de Jesus Cristo, em contraposição ao pecado que se originou na árvore do paraíso.
Os antigos germânicos criam que o mundo e todos os astros estavam sustentados pendendo dos ramos de uma árvore gigantesca chamada o “divino Idrasil” ou o “deus Odim”, a quem rendiam culto a cada ano, no solstício de inverno, quando se supunha que se renovava a vida. A celebração desse dia consistia em adornar um pinheiro com tochas que representavam as estrelas, a lua e o sol. Em torno desta árvore bailavam e cantavam adorando ao seu deus.

Contam que São Bonifácio, evangelizador da Alemanha, derrubou a árvore que representava o deus Odim, e no mesmo lugar plantou outro pinheiro, símbolo do amor perene de Deus e o adornou com maçãs e velas, dando-lhe um simbolismo cristão: as maçãs representavam as tentações, o pecado original e os pecados dos homens; as velas representavam Cristo, a luz do mundo e a graça que recebem os homens que aceitam Jesus como Salvador. Este costume se difundiu por toda a Europa na Idade Média e com as conquistas e migrações chegou à América.

Pouco a pouco, a tradição foi evoluindo: trocaram as maçãs por bolas e as velas por luzes que representam a alegria e a luz que Jesus Cristo trouxe ao mundo.

As bolas atualmente simbolizam as orações que fazemos durante o período de Advento. As bolas azuis são orações de arrependimento, as prateadas de agradecimento, as douradas de louvor e as vermelhas de preces.

Costuma-se colocar uma estrela na ponta do pinheiro, que representa a fé que deve guiar nossas vidas.
Também costuma-se pôr adornos de diversas figuras na árvore de Natal. Estes representam as boas ações e sacrifícios, os “presentes” que daremos a Jesus no Natal.

Os presentes

Também, se destinou para o dia de Natal a prática de trocar presentes e felicitações; prática sugerida pela que existia em Roma no primeiro dia do ano, chamada estréia. No início, simbolizava-se que era o menino Jesus quem oferecia os presentes; e mais adiante, seriam os Reis Magos quem distribuíam os dons

 

 

 

Os presépios


No ano 1223 São Francisco de Assis deu origem aos presépios que atualmente conhecemos, popularizando entre os leigos um costume que até esse momento era do clero, fazendo-o extra-litúrgico e popular.

Papai Noel (Santa Claus) ou São Nicolau

A imagem de Papai Noel, velhinho gorducho e sorridente que traz presentes às crianças boas no dia do Natal teve sua origem na historia de São Nicolau.

Existem várias lendas que falam acerca da vida deste santo:

Em certa ocasião, o chefe da guarda romana daquela época, chamado Marco, queria vender como escravo um menino muito pequeno chamado Adrian e Nicolau o impediu. Em outra ocasião, Marco queria apoderar-se de umas jovenzinhas se seu pai não lhe pagasse uma dívida. Nicolau se inteirou do problema e decidiu ajudá-las. Tomou três sacos cheios de ouro e na Noite de Natal, em plena escuridão, chegou até a casa e colocou os sacos pela chaminé, salvando, assim, as meninas.

Marco, que queria acabar com a fé cristã, mandou queimar todas as igrejas e prender todos os cristãos que não quisessem renegar sua fé. Assim foi como Nicolau foi capturado e preso. Quando o imperador Constantino se converteu e mandou liberar todos os cristãos, Nicolau havia envelhecido. Quando saiu do cárcere, tinha a barba crescida e branca e tinha as roupas vermelhas que o distinguiam como bispo; contudo, os longos anos de cárcere não conseguiram tirar sua bondade e seu bom humor.

Os cristãos da Alemanha tomaram a história dos três sacos de ouro deixados pela chaminé no dia de Natal e a imagem de Nicolau ao sair do cárcere, para tecer a história de Papai Noel, velhinho sorridente vestido de vermelho, que entra pela chaminé no dia de Natal para deixar presentes para as crianças boas.
O Nome “Santa Claus” vem da evolução paulatina do nome de São Nicolau: St. Nicklauss, St. Nick, St. Klauss, Santa Claus, Santa Clos.

Não obstante, o exemplo de São Nicolau nos ensina a ser generosos, a dar aos que não têm e a fazê-lo com discrição, com um profundo amor ao próximo. Nos ensina além disso, a estar atentos às necessidades dos demais, a sair de nosso egoísmo, a ser generosos não só com nossas coisas mas também com nossa pessoa e nosso tempo.

Por isso, o Natal é um tempo propício para imitar São Nicolau em suas virtudes

A ESPIRITUALIDADE

 

O significado profundo dessa “estação espiritual” é celebrar e receber a Luz em nossos corações (chakra cardíaco) pois nos tornamos semelhantes a Ele que  nos ama ao extremo , sem medidas e sem reservas , que veio estar conosco para nos mostrar o Caminho da Liberdade. Por meio deste nascimento ele nos abre o Caminho da Ascensão . O grande mistério de Cristo Jesus é que , sendo Deus , tornou-se homem , habitou um corpo em um mundo primitivo , fez-se igual a cada um de nós com a fragilidade de nossa condição humana.

 

O nascimento de Jesus é o momento em que chega a Semente Divina que contem os seguintes atributos:

Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte – Is 9:6

Pai da Eternidade e Príncipe da Paz – Is 9:6

Porta e Pastor – Jo 10:10

Luz do mundo – Jo 8:12

Caminho, Verdade e Vida – Jo 14:6

Libertador – Jo 8:36

Videira Verdadeira – Jo 15:1 R

Ressurreição e Vida – Jo 11:25

Adão – I Co 15:45

Advogado – I Jo 2:1

Alfa e Ômega – Ap 1:8 ; 22:13

Amém – Ap 3:14

Apóstolo da nossa confissão – Hb 3:1

Autor da Salvação – Hb 2:10

Autor da Vida – At 3:15

Autor e Consumador da Fé – Hb 12:2

Bem- aventurado – I Tm 6:15

Único soberano – I Tm 6:15

Braço do Senhor – Is 5:19; 53:1

Cabeça da Igreja – Ef 1,22

Chefe – Is 55:4

Consolação de Israel – Lc 2:25

Cordeiro de Deus – Jo 1:29

Criador – Jo 1:3

Cristo de Deus – Lc 9:20

Desejado de todas as nações – Ag 2:7

Deus bendito – Rm 9:5

Deus Unigênito – Jo 1:18

Deus – Is 40:3

Emanuel – Is 7:14

Eu Sou – Jo 8:58

Filho Amado – Mt 12:18

Filho de Davi – Mt 1:1

Filho de Deus – MT 2:15

Filho do Altíssimo – Lc 1:32

Filho do Homem – Mt 8:20

Filho do Deus Bendito – Mc 14:61

Glória do Senhor – Is 40:5

Grande Sumo Sacerdote – Hb 4:14

Guia – Mt 2:6

Herdeiro de todas as coisas – Hb 1:2

Homem de dores – Is 53:3

Imagem de Deus – 2 Co 4:4

Jesus de Nazaré – Mt 21:11

Jesus – Mt 1:21

Juiz de Israel – Mq 5:1

Justiça nossa – Jr 23:6

Justo – At 7:52

Leão da Tribo de Judá – Ap 5:5

Legislador – Is 33:22

Mediador – 1 Tm 2:5

Mensageiro da Aliança – Ml 3:1

Messias, o Ungido – Dn 9:25, Jo 1:41

Nazareno – Mt 2:23

Nossa Páscoa – I Co 5:7

Pão da Vida – Jo 6:35

Pai Eterno – Is 9:6

Pastor e Bispo das Almas – 1 Pe 2:25

Pedra Angular – Sl 118:22

Poderoso de Jacó – Is 60:16

Poderoso Salvador – Lc 1:69

Precursor – Hb 6:20

Primogênito – Ap 1:5

Príncipe dos Pastores – 1 Pe 5:4

Princípio da Criação de Deus – Ap 3:14

Profeta – Lc 24:19

Raiz de Davi – Ap 22:16

Redentor – Jó 19:25

Rei dos reis – I Tm 6:15

Rei dos santos – Ap 15:3

Rei dos Judeus – Mt 2:2

Rei dos séculos – 1 Tm 1:17

Rei – Zc 9:9

Renovo – Is 4:2

Resplandecente Estrela da Manhã – Ap 22:16

Rocha – I Co 10:4

Rosa de Sarom – Ct 2:1

Santo de Deus – Mc 1:24

Santo de Israel – Is 41:14

Santo servo – At 4:27

Santo – At 3:14

Semente da mulher – Gn 3:15

Senhor da glória – I Co 2:8

Senhor de todos – At 10:36

Senhor Deus – Is 26:4

Senhor dos senhores – I Tm 6:15

Siló – Gn 49:10

Soberano dos reis – Ap 1:5

Sol da justiça – Ml 4:2

Sol nascente – Lc 1:78

Testemunha fiel – Ap 1:5

Testemunho – Is 55:4

Todo- Poderoso – Ap 1:8

Verbo de Deus – Ap 19:13

Verbo – Jo 1:1

Verdade – Jo 1:14

Doador do Espírito Santo – Mt 3:11

Primeiro e Último – Is 41:4

Fundamento da Igreja – Mt 16:18

Onipresente – Ef 1:20- 23

Onipotente – Ef 1:20- 23

Onisciente – Ap 1:8 – Jo 21:17

Santificador – Hb 2:11

Mestre – Lc 21:15

Inspirador dos profetas – I Pe 1:17

Supridor de Ministros à Igreja – Ef 4:11

Salvador – Tt 3:4- 6

Leituras e Meditações para o Natal

 

Mensagem de Natal de Sri Daya Mata – SRF

Nesta época abençoada do Natal, assim como outrora sucedeu aos Sábios e aos pastores em Belém, nossos doces pensamentos são atraídos àquele em quem a “Luz deste Mundo” verdadeiramente resplandeceu: o Senhor Jesus. Reverenciado ao longo dos séculos como uma personificação radiante da doce compaixão, poder e graça de Deus, o Príncipe da Paz está acessível a cada um de nós, agora e sempre, como a Consciência Crística gloriosamente manifesta em toda a criação e em nossas próprias almas. Durante esta época sagrada, possa esse verdadeiro Cristo do Natal renascer em vocês, em sua comunhão meditativa com Deus, e na livre e ativa expressão da paz e do amor crísticos.
Ao recordar os muitos Natais que passei com Paramahansaji, lembro como ele transmitiu a todos nós, seus discípulos, a inspiração para celebrar verdadeiramente o Natal, sentindo a autêntica presença de Cristo por meio da profunda meditação devocional e da resolução de modelar nossas vidas de acordo com a natureza de Jesus – toda compassiva e tão plena de amor por Deus. “Se quiserem conhecer Cristo”, ele nos exortava, “devem viver a vida que ele viveu”. Neste Natal, dediquem tempo para absorver as palavras imortais de Jesus, seus ensinamentos de sabedoria, e encontrem inspiração e renovação, refletindo reverentemente sobre sua vida altruísta. Façam das divinas qualidades de Jesus não apenas ideais a serem admirados à distância, mas verdades a serem praticadas pessoalmente, a fim de trazer luz e alegria a cada aspecto de sua própria existência.
Nossos pensamentos, motivações e atividades de cada dia podem sintonizar-nos, a todo momento, com o ilimitado Amor e Bem-aventurança de Cristo. Sempre que elevamos nossos pensamentos a Deus ou pedimos afetuosamente Sua orientação e nos esforçamos para cumprir Sua vontade, estamos vivendo a vida de Jesus. O espírito sublime e invencível de Cristo refletia sua unidade com o Pai Celestial. Ele nos demonstrou como preparar nossa consciência a fim de receber e expressar o amor incondicional de Deus: deixar de lado o pequeno eu para servir e amparar outros filhos de Deus, e substituir nossas atitudes negativas e hostis por sentimentos de bondade e perdão.
Em profunda meditação diária, vocês virão a conhecer o Cristo personificado como uma Presença vibrante em suas vidas; e, com crescente devoção, perceberão o pequeno eu envolvido pelo Cristo infinito. Na quietude interior, invoquem Cristo sem cessar, com suas orações fervorosas: “Ó meu Cristo, torna-te real para mim. Vem a mim. Eu te dou meu amor.” O ardor magnético de seus corações atrairá as bênçãos onipresentes do amor de Deus e de Cristo. Receber e oferecer esse Amor Divino é a alegria do Natal. Oro para que o verdadeiro espírito desta época sagrada, o espírito sempre vivo de Cristo e dos Grandes Mestres, preencha seus corações e lares, agora e ao longo do Novo Ano.
Amor e bênçãos incessantes a vocês e aos que lhes são caros,
Sri Daya Mata

Pai Nosso que estais no céu

Dedico-me, agora, a todos vós, estudantes de todas as escolas do mundo, que buscais a Verdade.
Atentai para o que vos vou dizer. Gravai-o em vossas mentes e em vossos corações. Jamais esquecei que:
A oração dominical dada por Jesus o Cristo ao mundo tem sete petições e cada uma delas procura desenvolver, purificar e despertar um centro dentro do corpo-templo do EU SOU.
Essa oração encerra as mais poderosas palavras sagradas do Verbo. É preciso, no entanto, saber utilizá-las, pensar nelas, meditar sobre elas e vocalizá-las com toda a pureza de aspiração. A oração dominical é uma ponte entre o homem e o Deus Intimo. Escutai, amados aspirantes, o que disse Jesus com relação à oração, invocação e petições ao Deus Intimo. Antes de iniciar as citações, devemos recordar o que estudamos na obra «As Chaves do Reino Interno», ou seja, que o Céu está na cabeça do homem e que o Inferno repousa no inferior de seu ventre, aonde pululam os desejos de baixa vibração e aonde mora o Inimigo Secreto. Após esta pequena advertência já podemos tomar do capítulo sexto do Evangelho de São Mateus e ler a partir do versículo quinto, que diz:……
«E quando orardes, não sejais como os hipócritas, que gostam de orar de pé, nas sinagogas, ou nos cantos das praças públicas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo, que eles já receberam seu galardão.
«Tu, no entanto, quando orares, entra em teu quarto (em teu mundo interno) e, fechadas as portas (de teus sentidos, para que tua atenção não seja perturbada pelo mundo externo), ora ao Pai (o Intimo) que vê todas as coisas ocultas e te recompensará.
«E, quando orares, não fales muito, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão melhor ouvidos.
«Pois não quereis assemelhar-vos a eles, porque vosso Pai sabe daquilo que precisais, antes que Lhe seja pedido. Assim deveis orar:
«Pai Nosso (todos somos Seus filhos) que estás nos Céus (no mais alto, puro e divino de nosso corpo, em nosso centro coronário que irradia mil luzes de Tua divindade, luzes de amor, de fé, de esperança, etc.)
«Santificado seja o Teu nome (em nosso centro frontal e, assim, teu selo divino, tua luz inefável, emanará de nossa testa e assim estará o homem revelado pela sua santidade) .
«Venha a nós o Teu Reino (venha a nós o reino do Teu Verbo, a nosso Centro Laríngeo, para que sejamos criadores de todo o sublime e de todo o elevado por meio da palavra).
«Faça-se a Tua vontade, tanto na Terra, como no Céu (em nosso coração, ou Centro Cardíaco, que une os três centros superiores com os três inferiores. Que a vontade do íntimo guie os pensamentos e os desejos do coração para que eu execute a Tua obra).
«O pão nosso de cada dia dá-nos hoje (o poder energético que alimenta nosso plexo solar, dando-nos a cada momento dele para podermos servir e servir-Te na obra).
«E perdoa nossas dívidas, assim como perdoamos a nossos devedores (porque nosso Plexo Esplênico é o depósito de nossos erros. Desse plexo fazemos emanar ódio e rancor, cólera e inveja. Perdoamos os erros cometidos por nossos irmãos contra nós e o perdão é como a água que limpa toda sujeira e impureza…)
«Ilumina-nos no Caminho do Bem e ajuda-nos a triunfar sobre a tentação, para livrar-nos de todo Mal» (e não, como erroneamente se reza, «não nos deixeis cair em tentação», porque o Deus Intimo jamais nos deixa cair em tentação se não o quisermos, se não a buscarmos. Foi-nos revelado que, numa luta que era travada no mundo interno, enquanto o Iniciado rezava o Pai-Nosso, ele prosseguiu triunfante até chegar a essa frase: «Não nos deixeis cair em tentação. Sentiu, então, que um precipício abria-se embaixo de seus pés, aonde precipitou-se junto com seu corpo físico, acordando muito agitado.»
O Mestre recomendou que ele modificasse a frase.
As tentações chegam a nós a partir do Plexo Fundamental, aonde mora o Inimigo Secreto, autor e inspirador de todo Mal.
«Porque Teu é o Reino, o Poder e a Glória, AMEN».
Esta última frase, selada pelo mantra AMEN, é uma invocação à Trindade Intima que está representada por três átomos na cabeça: Pai-Mãe e Filho ou Pai, Filho e Espírito Santo.
Eis aqui alguns conselhos para a prática da oração dominical:
1º) Fazer sete exercícios respiratórios de cada vez, como indicado anteriormente.
2º) Escolher um lugar tranqüilo para essas práticas.
3º) Ficar sentado ou ajoelhado sobre algo macio.
4º) Fechar os olhos para não ver, nem ouvir os ruídos externos.
5º) Relaxar a tensão mental.
6º) Elevar o pensamento com a primeira frase da oração: «Pai Nosso, que estás nos Céus» no alto da cabeça e meditar no REINO, na GLÓRIA e no PODER do Intimo, que reside nessa parte do cérebro, fazendo isso durante dois, três ou quatro minutos.
7º) Em seguida, descer o pensamento e a frase «Santificado seja o Teu nome» durante o mesmo período de tempo, concentrando-a entre as sobrancelhas.
8o) Proceder assim, sucessivamente, até o fim, seguindo as mesmas indicações.
«Em verdade, em verdade vos digo que tudo aquilo que pedirdes em meu nome a meu Pai vos será dado. EU SOU A RESSURREIÇÃO E A VIDA.»
«Por mim mesmo nada posso fazer. É o Pai que está em mim, o EU SOU, que tudo faz».

trecho do livro “A Magia do Verbo ou O Poder das Letras” de Jorge Adoum
(Mago Jefa)

Meditação das Doze Noites Santas

 

As Doze Noites Santas é o período que vai da noite de Natal até o dia dos Reis.
Ao longo deste período, através da luz espiritual que brilha das estrelas do Zodíaco, dádivas se derramam sobre todos aqueles que oram e vigiam. Dos pés em direção a cabeça vivenciamos uma transformação de pessoas terrenas e materialistas em pessoas espiritualizadas, que olham o mundo com uma visão espiritual.
Esta é uma tradição da sabedoria antiga.

Quando se acendeu no céu a estrela há muito tempo esperada, os Reis Magos iniciaram a jornada até a criança que seria o novo Sol do Mundo. Após doze noites, consideradas a partir de então sagradas, Eles puderam alcançá-la e ofertar em nome de toda a Humanidade, o incenso, a mirra e o ouro, acompanhados dos votos de que o espírito divino pudesse viver no pensar, sentir e querer humanos.

A cada Natal temos a chance de um novo nascimento.

E a cada ano, a oportunidade de uma nova vida. Não podemos nos esquecer disto, pois precisamos urgentemente de forças espirituais, não apenas para cada um de nós individualmente, mas para o bem de todos.

Na Meditação das Noites Santas podemos colocar na alma as sementes da Esperança em relação aos dozes meses de 2016.

Dos pés em direção à cabeça podemos almejar a consolidação das forças do nosso ser e a transformação destas forças em qualidades verdadeiramente humanas.

DIA 25 DE DEZEMBRO:

Na madrugada ou ao amanhecer do dia 25, acenda uma vela. Deixe o silêncio e a devoção penetrarem na alma e a luz frágil da vela iluminar o seu espaço interno onde na vivência de seu próprio Eu, a verdadeira luz solar do Eu do Cristo se faça presente. Nesta noite, da região de Peixes, os sábios da humanidade derramam suas bênçãos de sabedoria sobre você. Eles formam um círculo protetor em sua volta emanando a força que você precisa para se firmar nos próprios pés e tomar seu destino nas próprias mãos. Abra os braços e as pernas formando com o próprio corpo uma estrela de cinco pontas e diga:

Com firmeza eu ocupo meu lugar no mundo,
Com certeza eu caminho pela vida,
Com amor no íntimo do meu ser,
Com esperança em tudo que eu faço,
Com confiança no meu pensar,
Forças jorrem do meu coração.

Nas noites seguintes repita este passo.

Aqueles que se sentem críticos e frágeis lembrem-se do estábulo de Belém onde em meio às condições mais adversas, de frio e penúria, nasceu a Criança Divina.

DIA 26 DE DEZEMBRO:

Nesta noite pense no que você quer alcançar em 2016 e olhe também para o seu estado de saúde. Da região de Aquário, o Anjo que tem sido o seu guia espiritual através de suas sucessivas vidas, irá iluminar suas metas individuais para o ano que se inicia e fortalecer a qualidade pessoal através da qual você se tornará o agente de sua própria saúde.

DIA 27 DE DEZEMBRO:

Nesta noite anseie pelo bem de todos. Elevando a alma ás alturas espirituais e se unindo ao ser do Cristo, a visão do seu lugar no mundo e do que você precisa realizar se tornará mais clara. Da região de Capricórnio, os Arcanjos, espíritos das cosmovisões lhe trarão Coragem para alcançar suas metas.

DIA 28 DE DEZEMBRO:

Nesta noite reavalie as suas qualidades pessoais. Da região de Sagitário, os Arqueus, espíritos da personalidade lhe trarão as forças da inteligência que lhe erguem, lhe sustentam e apontam a direção do futuro.Eles injetam clareza no seu pensar para que você perceba e assuma o compromisso com o que há de melhor de si.

DIA 29 DE DEZEMBRO:

Nesta noite procure ficar em paz consigo. Da região de Escorpião os Exusiai, espíritos da forma lhe trazem a capacidade de renascer das crises e de todos os processos de perda, impotência, dor e desespero.

DIA 30 DE DEZEMBRO:

Nesta noite reconheça quais os pontos de equilíbrio de sua vida. Da região de Balança, os Dynamis, espíritos do movimento lhe trazem a capacidade para equilibrar na alma as forças de dispersão e ter uma vida coerente e harmoniosa.

DIA 31 DE DEZEMBRO:

Nesta noite concentre-se, como o faz a semente, na essência do que você quer realizar. Da região da Virgem, os Kyriotetes, espíritos da sabedoria lhe trazem a capacidade de encontrar forças a partir do seu próprio interior para fazer desabrochar a sua vida.

DIA 1 DE JANEIRO:

Nesta noite, abandone o medo dos desafios que você tem pela frente. Da região de Leão, os Tronos, espíritos da vontade lhe trazem poderosas forças para vencer as provas que as suas escolhas lhe trazem.

DIA 2 DE JANEIRO:

Nesta noite deixe de lado a apreensão pelo que está em transição na sua vida. Da região de Câncer, os Querubins, espíritos da harmonia lhe trazem a força de se harmonizar com o novo e criar aconchego para os momentos de transição.

DIA 3 DE JANEIRO:

Nesta noite abra o seu coração, reconheça o bem em si e nos outros. Da região de Gêmeos, os Serafins, espíritos do amor lhe trazem impulsos para vencer a barreira do individualismo e da solidão e encontrar sentido na união e na fraternidade.

DIA 4 DE JANEIRO:

Nesta noite deixe seu olhar buscar novos horizontes para a sua vida. Da região de Touro, o Espírito Santo lhe traz a força da persistência que leva ao progresso.

DIA 5 DE JANEIRO:

Nesta noite pense em uma graça que você quer alcançar.
Da região de Áries, Cristo, o próprio filho de Deus, lhe traz a liberdade de ser
você mesmo.

Fonte: Kabbalah Group
Texto original de Edna Andrade
© Permitida a reprodução em qualquer mídia, desde que citada esta fonte e mantidos integralmente todos os demais créditos.

Onde Jesus Nasceu?Perguntemos a Maria Madalena, onde e quando nasceu Jesus. E ela nos responderá: – Jesus nasceu em Betânia. Foi certa vez, que a sua voz, tão cheia de pureza e santidade, despertou em mim a sensação de uma vida nova com a qual até então jamais sonhara.

Perguntemos a Francisco de Assis o que ele sabe sobre o nascimento de Jesus. Ele nos responderá: – Ele nasceu no dia em que, na praça de Assis entreguei minha bolsa, minhas roupas e até meu nome para segui-lo incondicionalmente, pois sabia que somente ele é a fonte inesgotável de amor.

Perguntemos a Pedro quando se deu o nascimento de Jesus, Ele nos responderá: – Jesus nasceu no pátio do palácio de Caifás, na noite em que o galo cantou pela terceira vez, no momento em que eu o havia negado. Foi nesse instante que acordou minha consciência para a verdadeira vida.

Perguntemos a Paulo de Tarso, quando se deu o nascimento de Jesus. Ele nos responderá: – Jesus nasceu na Estrada de Damasco quando, envolvido por intensa luz que me deixou cego, pude ver a figura nobre e serena que me perguntava: Saulo, Saulo porque me persegue? E na cegueira passei a enxergar um mundo novo quando eu lhe disse: – Senhor, o que queres que eu faça?!

Perguntemos a Joana de Cusa onde e quando nasceu Jesus. E ela nos responderá: – Jesus nasceu no dia em que, amarrada ao poste do circo em Roma, eu ouvi o povo gritar: – Negue! Negue! E o soldado com a tocha acesa dizendo: – Este teu Cristo ensinou-lhe apenas a morrer? Foi neste instante que, sentindo o fogo subir pelo meu corpo, pude com toda certeza e sinceridade dizer: – Não me ensinou só isso, Jesus ensinou-me também a amá-lo.

Perguntemos a Tomé onde e quando nasceu Jesus. Ele nos responderá: – Jesus nasceu naquele dia inesquecível em que ele me pediu para tocar as suas chagas e me foi dado testemunhar que a morte não tinha poder sobre o filho de Deus. Só então compreendi o sentido de suas palavras: – Eu sou o caminho, a verdade e a vida.

Perguntemos à mulher da Samaria o que ela sabe sobre o nascimento de Jesus. E ela nos responderá: – Jesus nasceu junto à fonte de Jacob na tarde em que me pediu de beber e me disse: – Mulher, eu posso te dar a água viva que sacia toda a sede, pois vem do amor de Deus e santifica as criaturas. – Naquela tarde soube que Jesus era realmente um profeta de Deus e lhe pedi: – Senhor, dá-me desta água.

Perguntemos a João Batista quando se deu o nascimento de Jesus. Ele nos responderá: – Jesus nasceu no instante em que, chegando ao rio Jordão, pediu-me que o batizasse. E ante a meiguice do seu olhar e a majestade da sua figura pude ouvir a mensagem do Alto: – “Este é o meu Filho Amado, no qual pus a minha complacência!” Compreendi que chegara o momento de ele crescer e eu diminuir, para a glória de Deus.

Perguntemos a Lázaro onde e quando nasceu Jesus? Ele nos responderá: – Jesus nasceu em Betânia, na tarde em que visitou o meu túmulo e disse: – Lázaro! Levanta. Neste momento compreendi finalmente quem Ele era… A Ressurreição e a Vida!

Perguntemos a Judas Iscariotes quando se deu o nascimento de Jesus. Ele nos responderá: – Jesus nasceu no instante em que eu assistia ao seu julgamento e a sua condenação. Compreendi que Jesus estava acima de todos os tesouros terrenos. Foi naquele instante que percebi a Sua misericórdia e o Seu imenso amor pelas criaturas.

Perguntemos, finalmente, a Maria de Nazaré onde e quando nasceu Jesus. E ela nos responderá: – Jesus nasceu em Belém, sob as estrelas, que eram focos de luzes guiando os pastores e suas ovelhas ao berço de palha. Foi quando O segurei em meus braços pela primeira vez que senti se cumprir a promessa de um novo tempo através daquele Menino que Deus enviara ao mundo, para ensinar aos homens a lei maior do amor.

Agora pensemos um pouquinho: E para nós, quando Jesus nasceu? Pensemos mais um pouquinho: E se descobrirmos que ele não nasceu? Então, procuremos urgentemente fazer com que ele nasça um dia destes, porque, quando isso acontecer, teremos finalmente entendido e verdadeiramente encontrado a luz.

______________

Não sabemos quem é o autor desta mensagem.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *